Clubland

Post original em Tweedland




Clubland ou o "País dos Clubes" situa-se em uma zona especifica de Londres.
O eixo principal é Pall Mall, o seu cruzamento com Waterloo Place e ainda a área abrangente como St. James Street.
Os Gentlemen's Clubs (não confundir com a mesma designação para clubes eróticos e locais menos recomendáveis) foram, e apesar de uma crise de sobrevivência de alguns, ainda são os locais de excelência da vida masculina britânica em sociedade.

Estando a ideia do Clube ligada à exclusividade e a um método rigoroso de seleção dos membros, não só através dos temas e motivações da atividade temática do Clube, mas também, e talvez acima de tudo, através das características de porte , civilidade e "gentlemen-ess", curiosamente os clubes tiveram a sua origem em locais públicos.
Assim a partir do Sec. XVII com a introdução do café da Turquia por David Saunders em 1652, e do Cacau em 1648 pelo frade dominicano Thomas Gage, novos estabelecimentos especializados na venda destes produtos começaram a aparecer, e rápidamente se tornaram locais de convívio, de tertúlia e ... também de jogo.
A popularidade destes estabelecimentos foi tal que no Sec. XVIII já existiam centenas delas em Londres e Westminster.
No entanto o seu carácter público e a sua actividade de jogo implicava promiscuidade social e respectivos perigos... além do perigo de indiscrição no que respeita os conteúdos e informações das conversas de carácter social, empresarial e politico existia permanentemente o perigo de, através do convívio, ser exposto directamente a criminosos... e sofrer as consequências disso.
Com efeito os clubes que ainda são considerados o "créme de la créme" de "Clubland" ou seja o "White's", o "Brook's" e o "Boodle's", todos com sedes em St. James Street tiveram a sua origem, quando estes estabelecimentos através da necessidade dos seus membros de exclusividade, selecção e privacidade se tornaram privados, garantindo assim uma qualidade de ambiente e protegendo os seus membros de encontros não pretendidos e de situações indesejadas.
"White's"e "Brook's" apesar das adaptações, fusões e concessões que outros clubes tiveram que fazer para sobreviver a partir dos anos 60, ainda lá estão, incólumes e inabaláveis, na sua tradição de membros da aristocracia e da "landed gentry".
"White's" mantém um sistema de "Blackball" implacável, e cada membro que promova um novo membro, sujeita-se ele próprio a um novo escrutínio.... pois diz a tradição.... cada proposta falhada e "blackballed" transporta em si a expectativa de que o próprio membro promotor apresente a demissão (!).
A seguir a este triunvirato de topo e à parte de excentricidades tais como o "Beaf-steak club" fundado em 1735 e instalado na inesquecível "Shakespeare Tavern" desde 1808 que tinha a particularidade de contar 24 membros (sendo o 25º o Príncipe de Gales ), seguem-se os clubes da "segunda linha".
Mas ainda em relação ao "Beaf-steak" club, os seus membros encontravam-se às cinco horas motivados pelo tema do "Bife" e utilizando-o como pretexto para desenvolver monumentais bebedeiras de Vinho do Porto e Punch ... imaginem-se o estado daqueles figados ...
Os clubes de "segunda linha", só são de segunda na perspectiva dos membros do triiunvirato de St James Street, pois apresentam as sedes mais magnificas, construidas por grandes arquitectos .... basta pensar no "Athenaeum" e o antigo "United Services" Club, um em frente do outro, e formando urbanisticamente Waterloo Place de forma majestosa.
Estes surgiram à volta da metade do Sec.XIX, quando as "upper middle-classes" e os militares da época Vitoriana, começaram a sentir a necessidade de fundar os seus próprios clubes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário