Ensinamento da encíclica

O que lhes havia ensinado a encíclica?


Leão XIII estava apavorado tanto com o conflito quanto com os socialistas e os liberais. A encíclica começa assim: "Os prodigiosos progressos das artes e os novos métodos industriais, as relações mudadas entre patrões e operários, a riqueza acumulada em poucas mãos e a grande expansão da pobreza, o sentimento da própria força que se tornou mais vivo nas classes trabalhadoras, assim como a união entre elas mais intima, este conjunto de fatores, aos quais se soma a corrupção dos costumes, deflagrou o conflito. . .''
O papa tem plena consciência do verdadeiro motivo, pois acrescenta: "Um número muito restrito de ricos e de opulentos impôs a uma multidão infinita de proletários um jugo que é quase de servidão.'' Porém, para ele, tal desigualdade não justifica o conflito, que deve ser evitado de qualquer jeito, graças a algumas condições que veremos a seguir.
A Rerum Novarum é equânime em seu ódio contra liberais e socialistas. Destes últimos, diz: ''Esta conversão da propriedade particular em propriedade coletiva, tão preconizada pelo socialismo, não teria outra efeito senão tornar a situação dos operários mais precária, retirando-lhes a livre disposição do seu salário e roubando-lhes, por isso mesmo, toda a esperança e toda a possibilidade de engrandecerem o seu patrimônio e melhorarem a sua situação.'' A encíclica deixa claro, desde o começo, que a propriedade privada é um direito natural - logo, divino. E o faz com o seguinte raciocínio abstruso: como os animais têm o direito de usar as coisas, mas não de possuí-las, o homem, que é superior aos animais, deve ter um direito a mais. Por conseguinte, o direito à propriedade.

  1. nascimento da sociedade industrial
  2.  Iluminismo
  3. um século de descobertas
  4. burguesia
  5. produzir
  6. a sociedade mudou
  7. Engenheiros
  8. teorias sociais
  9. Rerum Novarum
  10. Ensinamento da encíclica

Nenhum comentário:

Postar um comentário