Engenheiros

A sociedade industrial significa, desde o começo, e significará por muito tempo, a hegemonia de uma
categoria: a dos engenheiros.  Originalmente com Frederick W. Taylor.


Geralmente tem-se uma imagem deformada de Taylor, um pouco caricata. Na verdade, ele nasceu rico, trabalhava por hobby e estudava a organização do trabalho porque era sua paixão. Foi o maior importador do racionalismo para o interior dos Estados Unidos e das fábricas. Na história da humanidade, somente um tipo de trabalho antes da indústria tinta aglomerado tantas pessoas  num só lugar: o exército. Mas, em 1804, a fábrica de Owen, na Escócia, postula três mil empregados, e, em 1901, a United States Steel, na América, cem mil representantes. Na realidade, o projeto organizacional e existencial de Taylor, a longo prazo, não tende absolutamente a tornar mais cruel o trabalho, mas sim a liberar as pessoas do cansaço e a lhes permitir um lazer criativo. Quanto a ele, pessoalmente, retirou-se em sua mansão, aos quarenta e cinco anos,  passando a dedicar-se aos seus jardins, que eram cuidados por trinta e cinco jardineiros.
Para Taylor, o trabalho é uma coisa que pode ser evitada. Entre as visões do trabalho que se confrontavam
naquele período, a sua era a mais liberadora e cheia de vitalidade. No final das contas, pensando bem, Taylor é mais próximo ao Lafargue do "direito ao ócio'' do que ao sogro deste, Karl Marx, com seu "direito ao trabalho'', ou ainda a Smith ou até mesmo ao próprio Proudhon.  Porém isto não impede que, por pelo menos cem anos, o cronômetro de Taylor e a linha de montagem de Ford tenham parcelado o trabalho até o ponto de privá-lo de toda e qualquer forma de inteligência. Marx já havia dito que ''o trabalho produz coisas espirituais para os ricos, idiotices e imbecilidades para o trabalhador''. Porém, a partir de Taylor, há o agravante de que o imbecil é especializado.

  1. nascimento da sociedade industrial
  2.  Iluminismo
  3. um século de descobertas
  4. burguesia
  5. produzir
  6. a sociedade mudou
  7. Engenheiros
  8. teorias sociais
  9. Rerum Novarum
  10. Ensinamento da encíclica

Nenhum comentário:

Postar um comentário